O Roubador de Sonhos


No pacato vilarejo de Andorinha, um ocorrido choca seus moradores. Homens, Mulheres e Crianças perguntam-se como e quem teria feito tal malvadeza… A lenda do Roubador de Sonhos volta a rondar a vizinhança espalhando medo e desconfiança. Iandara, uma pequena índia de nove anos, seu melhor amigo Bruno e seu avô, se arriscam na floresta para desvendar o tal mistério.

“Sentada em sua cama, Iandara ouvia atentamente o que o avô lhe dizia, seus olhos puxados eram dois pontos imóveis naquele grande rosto redondo de pele indígena.

… Há muitos anos atrás existia por estas bandas um vilarejo muito próspero, lá morava uma moça chamada Olivia, era a moça mais linda do vilarejo e todos os rapazes a cortejavam. Olívia caprichosa que só, disse não a todos, pois se viu perdida de amor por um rapaz que morava onde o rio nascia. O tal rapaz era adoentado e corria a boca solta que estava à beira da morte.

Guy in hooded cloak with a stick walking to a village in the night.
O Roubador de Sonhos

A mãe do moço já tinha feito de tudo, mas nenhum Doutor pôde lhe ajudar. Então soube que havia por ali um feiticeiro muito poderoso e aos prantos correu até ele para pedir-lhe a cura do seu filho. O homem disse que lhe atenderia ao pedido se em troca o entregasse como o seu sucessor quando atingisse a maioridade. Levada pelo desespero a pobre mulher aceitou a proposta. Chegado o dia de cumprir o trato, o jovem recusou-se veementemente pois deveria se casar com Olívia. Gritou para quem pudesse ouvir que aquele era o seu maior sonho e dele não abriria mão. A mãe arrependida e assombrada com a fúria do feiticeiro, buscou na selva planta poderosa que fizesse seu filho dormir por três dias e no meio da noite arrastou-o até uma canoa para que fugissem. Desceram rio abaixo e nunca mais foram vistos. Olívia procurou, procurou, mas seu Amor não encontrou. De noite e de dia vivia naquela agonia, à espreita na beira do rio, esperançosa que seu amado retornasse.

A pequena menina levou as mãos à boca “O que houve vovô, por favor, conte-me, conte-me! Prometi falar tudo para o Bruno!”

O avô pediu que Iandara dormisse prometendo que outra hora retornaria à lenda”.

Se você quer saber mais, assim como nossa indiazinha, acompanhe o Projeto Abelha e fique por dentro das previsões de lançamentos dos livros!

olivia_oroubador

♫ Olaiá Olaiá quem vem lá

Vem para me dizer 

Que de Amor eu posso morrer

Olaiá Olaiá quem vem lá ♫

Não me fale isso não

Que sem amor não vive um coração

♫ Olaia Olaiá chegue aqui

Venha me ouvir

Desta lua não precisa fugir

Olaiá Olaiá vamos viver ♫

É possível amar

Sem nunca deixar de sonhar

Débora Araújo, da obra “O Roubador de Sonhos”

Voltar

Deixe uma resposta

Obrigada por nos visitar!

Nome *
Email *
Site